Categorias


Contactos

Praça da Corujeira 38,
Apartado 3825 | 4300-144 Porto
telf: +351 225 899 626/8
fax: +351 225 899 629
geral[at]dignus.pt

16 de Maio, 2022

Portal Dignus

Mais um site WordPress

“Juntos para superar!” o Acidente Vascular Cerebral

2 min read
Portugal AVC promove o encontro no dia 28 de maio em Alportel.
Acidente Vascular Cerebral - AVC

A Portugal AVC – União de Sobreviventes, Familiares e Amigos promove o “Juntos Para Superar!”, no dia 28 de maio, pelas 14h30, em S. Brás de Alportel, no Algarve. Em parceria com o Centro de Medicina Física e Reabilitação do Sul, que faz parte do Centro Hospitalar e Universitário do Algarve, o evento tem como objetivo abordar a importância da reabilitação multidisciplinar, quer logo após um Acidente Vascular Cerebral, quer no reconhecimento de que há uma vida após o Acidente Vascular Cerebral, que merece ser vivida com qualidade.

Não é por acaso que, logo no título, chamamos a este encontra ‘Juntos para Superar!’. Apesar de não haver 2 Acidentes Vasculares Cerebrais iguais, assim como 2 processos de reabilitação iguais, queremos envolver todas as pessoas neste esforço: ultrapassar o Acidente Vascular Cerebral, mesmo que seja ‘contornando’ eventuais limitações, porque a vida continua para todos. Claro que os sobreviventes de AVC e as famílias podem-se deparar com sequelas “visíveis” e outras menos, até mesmo no âmbito da saúde mental e outras complicações de saúde específica“, explica António Conceição, presidente da Portugal AVC – União de Sobreviventes, Familiares e Amigos.

Com este encontro pretendemos criar um espaço para o debate de temas e a partilha de experiências de testemunhos, que possam ser mais uma importante ajuda para os participantes”, completa o presidente.

O Acidente Vascular Cerebral, com cerca de 25 mil episódios de internamento por ano, é a maior causa de incapacidade em Portugal, atingindo todas as idades e géneros. Pode ocorrer como resultado de uma oclusão ou de uma rotura de um vaso sanguíneo cerebral, levando a que uma parte do cérebro sofra lesões, por não lhe chegar o sangue com oxigénio e glicose necessários. Dependendo da zona afetada, a pessoa poderá ficar subitamente com limitações, como por exemplo, movimentar uma parte do corpo, ter dificuldade na comunicação, entre outras a nível cognitivo ou emocional.

Como viver depois de um Acidente Vascular Cerebral?

Em contínua interação, além da partilha de testemunhos, a iniciativa vai contar também com a participação de profissionais de saúde, e vai abordar temas relevantes como “Reabilitar para integrar”, “O AVC na família e a importância do cuidador”, “A intervenção da Medicina Geral e Familiar na fase crónica”, “A depressão pós-AVC: estratégias para a evitar e/ou combater e recuperar a autoestima” e “A fadiga crónica no sobrevivente de Acidente Vascular Cerebral: como viver com ela?”.

A participação nesta iniciativa é gratuita, mas de inscrição obrigatória. Saiba mais aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.